Trrocando Ideias
Você está aqui: Home » Blog inicio » Poesia: Beija-Flor (Página 32)

Filtro de Categorias:

Poesia: Beija-Flor (Página 32)

Compartilhe no:

Poesia: Beija-Flor (Página 32)
Poesia: Beija-Flor (Página 32)

Ao Cazuza

Paira no ar
minúsculo pássaro de sangue quente.
Juntam-se frágeis borboletas azuis
desafiando a ofuscante neblina
desse dia triste,

em que a determinação do Ser
se esvai na lentidão da medicina global,
como se de repente
as flores fecundadas
se lhe negassem a boca, o néctar,
a vida.

Paira logo acima
da  irresignável legião de fãs
uma pequena ave
de singular estirpe,
cores deslumbrantes,
asas rígidas,
frenético desejo de voar;

sobrevoar territórios longínquos,
desertos, cidades…
levar, no longo bico,
seu indomável canto ao Criador.

Paira no ar
uma voz lúcida, rouca, indignada.
Cazuza – superlativo: beija-flor.